Menu fechado

Como montar a lista de enxoval de bebê

Dá vontade de sair comprando todas as roupinhas, mas confira as dicas do que observar na hora de montar o enxoval do bebê…

Divulgação/Shutterstock

Comprar o enxoval de bebê é um daqueles momentos de prazer na gravidez. O quinto mês de gestação, em geral, é uma boa hora para isso. Além de você já ter descoberto o sexo do seu filho, tem disposição de sobra para ir às lojas. Muitas mulheres “surtam” com as opções. Não é à toa: há muitos produtos fofos. Para fazer as melhores escolhas, porém, que tal seguir as dicas de BabyHome? Vamos lá! 

Prefira essas peças!

Conforto e praticidade: Não é só a beleza e a fofura das roupinhas que importam. As peças precisam, antes de mais nada, oferecer conforto ao bebê. Essa orientação, aliás, deve permear todas as compras que fizer para o seu filho nos primeiros anos. Nos primeiros meses, o bebê passa muito tempo deitado e no colo, e dentro de casa. Acredite: a melhor roupa é a que mais se aproxima de um pijama, ou seja, um macacão ou a combinação de body e culote (mijão). Resista à tentação de comprar roupas vistosas, do tipo “para sair” – elas serão usadas poucas vezes. Macacões com abertura total na frente ou pelo menos em toda a perna são uma mão na roda na hora de trocar as fraldas. Os modelos com pezinho fechados são mais quentes. Os sem pé acabam durando um pouco mais no armário, mas, conforme o bebê cresce, também se mexe mais e as meias podem acabar caindo. Há, ainda, versões que podem ser usadas dos dois jeitos. Alguns macacões têm zíper em vez de ilhoses (aqueles botões de pressão) e abrem totalmente, o que confere rapidez ao vestir – em compensação, se estiver muito frio, a cada fralda trocada você será obrigada a deixar o peito do bebê também exposto. Priorize tecidos naturais como algodão e malha de algodão, que permitem a transpiração da pele. Tecidos sintéticos podem provocar irritação e reter muito calor, gerando dermatites como brotoeja. Casaquinhos de lã, linha, malha ou moletom com botões ou zíperes são práticos – você não precisa passá-los pela cabeça da criança – e protegem do vento e do frio na medida certa. Ao comprar bodies, prefira aqueles que têm botões (ilhoses) na lateral da gola, para facilitar a passagem da cabeça do bebê.

 Tamanho: O ideal é adquirir primeiro itens nos tamanhos recém-nascido (RN) e pequeno (P), suficientes para os três primeiros meses, e depois voltar a comprar o enxoval de bebê conforme a necessidade. Lembre-se sempre: as compras devem levar em conta a estação do ano em que ele deve vir ao mundo. Evite exagerar na quantidade de peças no enxoval de bebê, principalmente de tamanhos menores (RN em especial). Além de não saber com qual peso e altura seu filho vai nascer (tem recém-nascido que nem usa RN), as crianças crescem rápido. Deixe para comprar a maioria das peças RN no final da gestação, quando você já tiver um cálculo mais aproximado do tamanho do seu filho.

 Evite essas roupinhas: Vestidos podem ser bonitos, mas sobem deixando as costas do bebê de fora – o mesmo acontece com camisetas – e podem ter babados que pinicam. Até que sua filha comece a andar (ou ficar de pé), eles não são nada práticos. Cheque se as roupinhas têm velcros, botões, zíperes e fechos metálicos nas costas. Eles podem atrapalhar os movimentos, a respiração e a circulação sanguínea da criança, e marcar a fina pele, já que ela passa muito tempo deitada. Sem falar que vai ser muito difícil fechar a roupinha nas costas com um bebê que ainda não senta. Fuja! Também passe longe de penduricalhos, apliques e enfeites que possam se soltar. Lembre-se que o bebê leva tudo à boca. Confira a costura por dentro. Passe a mão para ver se ela pode irritar a pele do bebê. Por essa mesma razão, evite os bordados, a não ser que estejam protegidos com um tecido por dentro. Bebês detestam roupas apertadas e incômodas. Muitas vezes, o choro intenso sinaliza o desconforto com o que está vestindo. Esse mal-estar prejudica o sono e as mamadas. Adote peças folgadas, que deixam os movimentos livres.  Macacões e blusas com gola podem até ser fofos, mas atrapalham, muitas vezes, os bebês. Dependendo do tamanho da gola, podem encobrir boca e nariz. Evite!

 Quantidades: A quantidade ideal de peças depende da estação e da real necessidade. Os bodies, por exemplo, são bastante usados, então você pode investir em pelo menos 6 unidades (com ou sem manga, de acordo com a estação). Tudo vai depender da velocidade com que você vai lavar as roupas. Bebês pequenos regurgitam e vomitam muito e os escapes de cocô (bastante líquido ou pastoso no começo) são bem comuns. É mais seguro calcular duas trocas diárias de roupas.

 Acessórios: Sapatos, apesar de lindos, não são necessários no enxoval de bebê. Inclusive, os pediatras recomendam que só devem ser adotados depois que a criança aprender a andar, para não prejudicar o desenvolvimento. Meias tipo sapatinho, com solas antiderrapantes, são uma boa opção para quando ele começa a se levantar. Invista nas meias: você vai usar bastante! Compre ao menos 6 pares. Os chapéus são acessórios indispensáveis para proteger do sol. Para o frio, tenha sempre um gorro. Em ambos os casos, não é preciso comprar vários modelos. Luvas sem separação entre os dedos protegem contra o frio, mas devem ser evitadas, segundo pediatras. É pelas mãos que o recém-nascido reconhece objetos e descobre o mundo, especialmente numa fase em que a visão não é tão boa. Além de privá-lo dessa experiência sensorial, você pode deixá-lo muito irritado. Faixas de cabelo, fivelas, presilhas são irresistíveis, mas não são indicadas para bebês. As faixas podem apertar a cabeça e deixar a criança irritada – se for usar, prefira as com tecido muito maleável e que não apertem. Presilhas e fivelas podem ser engolidas pelo bebê numa distração, o que é um perigo. Babadores vão ser muito usados após a introdução alimentar, aos seis meses. Mas eles podem ser aliados também para proteger a roupa de golfos e do excesso de saliva – alguns bebês babam bastante, especialmente quando os dentes começam a nascer. Para a fase das comidas, prefira os que são fáceis de lavar e secar (a exemplo dos babadores de silicone e poliéster). Evite cachecóis, capuzes e roupas que precisem amarrar. Esses itens podem estrangular ou sufocar a criança.

 Artigos de banho e cama: Não se esqueça de comprar mantas de algodão ou tricô. Algumas têm macacão combinando e compõem os chamados “kits de saída da maternidade”. A ideia é ter um look bem bonito para as primeiras fotos do bebê. Você pode adotar aqueles sacos de dormir de bebê em vez de cobertor ou manta à noite, que podem sufocar a criança enquanto dorme. Fraldas de pano para usos diversos, paninhos de boca e de ombro (para os golfos do bebê) são indispensáveis. Toalhas de banho com capuz também devem integrar a sua lista.

Quer saber mais? Assine a newsletter de BabyHome e receba toda semana mais dicas sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e grátis.

Artigo Original

0 0 votos
Deixe sua nota! :)
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Sua opinião é importante para nós! ❤x
()
x