Menu fechado

Como fazer pra doer menos?

Ser lembrado constantemente da vida de quem você está tentando esquecer pode ser difícil. Foto: Getty Images

Tentar esquecer alguém enquanto você é lembrado daquela pessoa o tempo todo. Para muita gente, esse é a sensação de terminar um relacionamento na era das redes sociais. Romper o elo de uma relação já é uma tarefa bastante dura, mas fazer isso enquanto o Instagram, o Facebook, o Twitter te mostram o que aquela pessoa está fazendo fica ainda mais difícil.

O que fazer então? Yahoo! conversou com o psicólogo Yuri Busin, que dedicou seus trabalhos de mestrado e doutorado às redes sociais, para entender como lidar com esse momento.

Leia também

Ficar mal por ver que o ou a ex postou alguma coisa é completamente natural, por conta da importância que as redes sociais vêm ganhando na nossa vida.

“A gente está em uma era diferente, os relacionamentos têm mudado cada vez mais e os paradigmas de comunicação também. Tudo isso é novo e a gente não sabe muito bem como lidar ainda, estamos aprendendo”, diz Yuri.

Uma grande cilada é ficar tentando adivinhar o que a pessoa está sentindo pelo que ela anda publicando.

“Fazemos uma comparação do tipo: ‘ai, essa pessoa tá tão feliz e eu não estou, eu ainda estou sofrendo. Ela já está saindo, eu ainda não'”, diz Yuri.

Veja também:  Como fazer um Sapo de papel, origami [Vídeo]

Esse tipo de comparação não quer dizer muito e não ajuda em nada, já que sempre escolhemos e editamos o que será publicado nas nossas redes.

“As redes sociais são uma extensão do eu, mas essa é uma extensão fake. A gente posta as coisas que queremos que vejam, com as redes, nós ficamos muito bons em maquiar a vida. Então, não adianta muito ficar pensando e atribuindo hipóteses e significados àquilo que a pessoa postou. Não tem como saber”, alerta. Então desencana de adivinhar.

Ou quase isso. Não há garantias de que só por não ver o Instagram do ou da ex você vai esquecer do dito cujo mais rápido, mas ficar constantemente acompanhando o que a pessoa está fazendo dificulta, sim, todo o processo de separação. 

“Nesse momento, as redes sociais precisam ser um pouco mais controladas. Normalmente, qualquer término gera algum tipo de sofrimento para alguma das partes. Dentro desse panorama da dor, o contato excessivo com o que o outro está fazendo pode acabar machucando e dificultando a quebra desse vínculo. Isso atrapalha, sim, a superar”, explica o especialista.

Nesse sentido, deixar de seguir, silenciar os Stories e os tweets são mecanismos aliados da superação.

Se você acaba caindo em tentação e correndo pro feed da pessoa naquela curiosidade, considere bloquear.

Justamente porque as redes sociais têm um papel tão significativo na vida das pessoas hoje, o famoso block pode parecer muito drástico, mas não é sempre assim. 

Veja também:  Adverbs of frequency: como usar, exemplos, exercícios

“Bloquear para deixar de ver de vez o que o outro está fazendo pode ser bom sim, às vezes pode ser preciso. A gente dá um significado muito maior para as coisas nas redes sociais. Às vezes, uma mensagem que demorou para ser respondida pode se tornar um problema, mas não precisa ser assim”, garante Yuri. E como deve ser então?

Não existe receita certa e tudo depende da dinâmica da relação. Mas Yuri aconselha que, para não deixar rancor na parte que será bloqueada, conversar com sinceridade é um caminho interessante.

“É muito importante deixar tudo em pratos limpos. Falar que vai se afastar, que vai precisar bloquear porque acredita que é necessário agora, que precisa se preservar. Dialogar sobre isso também se tornou importante nesse quadro da importância das redes sociais nas nossas vidas”, explica ele.

As redes sociais e a velocidade das informações que são compartilhadas ali criam um senso de urgência: é como se precisássemos estar bem o tempo inteiro. Inclusive depois de terminar.

“Não quer dizer que a pessoa não tem que enfrentar as dores e o término, mas não é necessário se cobrar para estar estar super bem rápido e mostrar isso, o luto é natural”, explica. 

Artigo Original

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *